Estou de volta!

Depois de 4 anos sem postar, resolvi reativar meu blog e continuar a escrever sobre algumas inesquecíveis experiências que tenho vivido.

A escrita é uma das maiores invenções da humanidade. A partir dela, o ser humano aprendeu a se comunicar com seus iguais e entender melhor o que o cerca. Com isso, surgiu a vontade de escrever por prazer; escrever histórias, contos e poesias e transformar a literatura em arte!!!!!

blog

Por onde anda o Abel?

Meu sobrinho me perguntou essa semana, “tio, onde você está agora?”, dei uma risada e falei: “estou trabalhando em Maceió.

Desde que voltei de Londres tenho trabalhado na CBE – Coalizão Brasileira de Esportes, uma aliança de Ministérios Esportivos que proporciona o treinamento e a capacitação de pessoas que desejam servir pessoas do esporte (atletas, técnicos, pessoas que praticam esportes e fãs em geral). Depois de viver e trabalhar em 2 países que sediaram os dois mariores eventos esportivos do planeta chegou a hora de fazer meu dever de casa.

cbe3

Realizamos em Janeiro uma conferência internacional em Natal que contou com a participação de 350 líderes de diversas regionais do país. Tivemos também a presença de pessoas da América Latina e representantes da Coalizão Internacional. Parceiras e estratégias foram firmadas com o alvo nas Copas das Confederações e Copa do Mundo.

cbe2

Materiais estão sendo disponibilizado e treinamentos acontecerão em todas as cidades sedes e nosso desejo é de mobilizar o maior número de pessoas possível.

conferencia

Em Maio voltarei para o Sudeste (dessa vez CASADO) onde daremos continuidade ao trabalho da CBE trabalhando com o Movimento Joga Limpo Brasil e a Jogada Perfeita.

Uma viagem a Ouro Preto

ouro_preto

Uma fabulosa e linda cidade setecentista encravada num vale profundo das montanhas mineiras.

Fascinante… Ouro Preto ressurge como uma visão, uma miragem em meio à densa névoa matutina. A sensação para os visitantes de primeira viagem é empolgante. De repente parece que a viagem no tempo é uma realidade.

DSC04405

Não se sabe ao certo quem descobriu a primeira pedrinha de ouro. Foi algum dia entre 1693 e 1698. 

Ouro Preto é um dos principais destinos turísticos de Minas. Nos finais de semana e feriados prolongados a cidade fica repleta de turistas. Excelentes hotéis surgiram para atender a demanda. De uma forma geral conciliam o esplendor barroco com os confortos e facilidades da vida moderna.

DSC04406

Principais Atrações

Igreja de São Francisco de Assis
Igreja Matriz de Nossa Senhora do Pilar
Matriz de Nossa Senhora da Conceição de Antônio Dias
Museu da Inconfidência
Museu do Oratório
Museu de Mineralogia
Casa dos Contos

DSC04481

Pobre? eu sou é feliz kkkk

 birapresuntao

 

Nada como um pão com mortadela na beira da praia – “coisa de pobre”, você deve estar dizendo, mas que é bom é!!!!

pao

Como é feito, qual sua origem e porque é tão saboroso assim?

Existem duas teorias sobre a origem da palavra mortadela. A primeira indica que o recheio de porco que este enchido contém era, no passado, moído finamente, de forma tradicional, até chegar a uma consistência de goma, sendo usado para este efeito um almofariz, conhecido em Italiano como mortaio. O nome poderia, assim, ser proveniente da utilização deste instrumento.

morta

A segunda teoria sugere que o nome mortadela pode ser derivado de uma salsicha romana temperada com murta, em vez de pimenta, designada pelos romanos como farcimen mirtatum

Há ainda um terceira origem hoje ainda existente na grande indústria alimentícia, na qual a mortadela tem origem na retirada da carne do boi na região dorsal do seu abatimento, ou seja, onde o boi leva uma martelada e morre nos matadouros, o que daria o nome “mortadela” por ser algo relacionado à 

morte do bovino.

mort

A mortadela teve origem em Bolonha, na Itália. Um relato de uma linguiça similar à mortadela datado de 1376 pode ser a referência mais antiga da iguaria.

Foi levada para a América Latina pelos imigrantes italianos, no início do século 20, sendo hoje popular no Brasil, na Argentina e no Uruguai. Em meados do século 20 tornou-se também popular em Portugal, onde são hoje comuns diversas variedades (pimenta, azeitona, pimentos verde e vermelho, alcaparra).

A atriz Sophia Loren é considerada madrinha do produto após ter estrelado um filme chamado La Mortadella em 1971.

Aqui estão algumas curiosidades sobre essa iguaria italiana:

 *A mortadela nasceu há mais de dois mil anos no Império Romano;

*A cidade italiana de Bolonha tem a fama de fazer a melhor mortadela do mundo;

*Em 1971, a atriz Sophia Loren interpretou o filme “La Mortadella” e se tornou madrinha do produto na Itália;

*São consumidos no Brasil mais de 100 mil toneladas de mortadela por ano;

*Na Itália, é apreciada como antepasto, acompanhamento, no recheio de massas, dentro de almôndegas conhecidas como polpette e em pequenas tortas conhecidas como tortini de batata;

*Em Portugal e na Espanha, são consumidas muitas variedades de mortadela, especialmente recheadas com azeitonas e pimentões vermelhos;
Na Itália e nos Estados Unidos, são comercializadas mortadelas recheadas com pedaços de pistache.

*No bar Mortadela Brasil existem réplicas perfeitas de sanduíches de mortadela, expostas junto ao balcão. É impressionante ver a perfeição do produto. Cada réplica custa cerca de R$ 300,00 para ser produzida.

 Fala que não deu água na boca?

mortad

Farol do Cabo Branco

O Farol do Cabo Branco é o ponto turístico mais conhecido de João Pessoa.

DSC04120_3264x2448

Há décadas, muito antes da cidade entrar no roteiro turístico, o Farol já era conhecido por marcar o ponto mais oriental das Américas.

paraiba

O Farol localiza-se no topo de uma falésia no Cabo Branco, aproximadamente 4 km ao sul de Tambaú. A caminhada pela praia é tranquila, mas a subida da falésia é íngreme.
Todos os passeios para o litoral sul incluem uma parada para fotos no Farol.

O farol tem um mirante com uma vista do mar (João Pessoa fica encoberta pelas árvores vizinhas), tradicional ponto de fotografias.

DSC04071_3264x2448

Em vista do seu potencial turístico, o Farol é tratado com certo descaso pelo Governo.
Não há no local guias que expliquem a História do Farol. Ao redor do farol, há algumas lojinhas vendendo artesanato, lanches, lembranças e cartões postais; costumava haver um restaurante de maior porte com um pequeno bosque.

Não há atividade comercial ou cultural que seja relacionada à privilegiada posição geográfica do Cabo. Mas vale a pena conferir. Estando em João Pessoa, não perca a oportunidade de assistir o sol nascer!!!!
DSC04034_1632x1224

Maragogi, o caribe brasileiro

Ir à pequena cidade de Maragogi, no norte de Alagoas, é se sentir no Caribe sem precisar deixar o Brasil.

marago

As praias paradisíacas – de densos coqueirais, águas límpidas e esverdeadas – fazem jus à comparação. Mergulhar no mar calmo de Maragogi é observar bem de perto arrecifes de corais e ter o corpo rodeado de peixes coloridos.

mara

A localização da cidade é privilegiada: a cerca de 130 km de Maceió e de Recife, com acesso fácil pelas duas capitais. Maragogi – cujo nome vem de “rio livre” – faz parte da Costa dos Corais, a maior Área de Proteção Ambiental (APA) da Marinha brasileira.

Criada por decreto em outubro de 1997, a APA da Costa dos Corais tem 150 km de extensão e abrange quatro municípios de Pernambuco (São José da Coroa Grande, Barreiros, Tamandaré e Rio Formoso) e nove de Alagoas (além de Maragogi, Barra de Santo Antônio, São Luís do Quitunde, Passo de Camarajibe, São Miguel dos Milagres, Porto de Pedras e Japaratinga).

Ah, as Galés de Maragogi

A fama de Maragogi vem das suas impressionantes piscinas naturais – chamadas de Galés. Distantes cerca de 6 km da praia, elas se formam em alto mar por conta dos arrecifes de corais. É possível chegar até as Galés de lancha ou catamarã. A maioria dos hotéis e pousadas oferece o passeio por cerca de R$ 50 por pessoa, com duração média de 2 horas.

DSC03895

Mas para desfrutar do melhor das piscinas naturais é preciso se programar. O passeio é recomendado quando a maré está baixa. Por isso, dias que terão lua cheia são os mais indicados, já que a maré é mínima e a profundidade da água está a cerca de um metro. Assim, é possível se divertir tranquilamente no mar verde cristalino das Galés.

O turista tem a opção de mergulhar na superfície utilizando snorkel ou, caso queira ir mais fundo, cilindros. Não é preciso ser profissional para optar pelo mergulho com cilindros, nem sequer saber nadar. A profundidade máxima explorada é de 5 metros e um instrutor acompanha pelo braço o mergulhador durante todo o tempo.

Quando a medição indicar maré acima de 0,5 m é sinal de alerta, já que muitos pontos das piscinas naturais podem não dar pé. É preciso redobrar o cuidado com as crianças para que elas não se afoguem ou se machuquem nos arrecifes. Em alguns dias, o passeio às Gales não é realizado diante dos riscos da maré alta.

DSC03902DSC03902

Vida boa nas praias

Além das piscinas naturais, a cidade de Maragogi se destaca por reunir algumas das mais belas praias do litoral alagoano. É o 2º destino mais procurado no Estado, perdendo apenas para Maceió. São 22 km de areias quase desertas e com ares bucólicos, ideais para quem busca sossego e contato com a natureza. A combinação de coqueirais, areia fina e batida, mar cristalino, calmo e, por vezes, quase morno, é extasiante.

Além da praia com o mesmo nome do município, é indispensável conhecer Burgalhau, Barra Grande e Peroba, já na divisa com Pernambuco. A menos de 10 km de Maragogi está a cidade de Japaratinga, outra parada obrigatória.

Com pouco mais de 7 mil habitantes, Japaratinga alia a tranquilidade e o charme de uma antiga vila de pescadores com uma eficiente estrutura turística de bares e pousadas. Cansou do mar cristalino? Aproveite para conhecer um pouco mais da história do município e visite a Igreja Matriz de Nossa Senhora das Candeias, construída por holandeses.

Melhor época para ir

Se não bastassem tantas belezas reunidas em um só lugar, Maragogi ainda foi abençoada com clima perfeito o ano inteiro. O sol dá o ar da graça praticamente todos os dias. A temperatura média anual da cidade é de 27º C. Mais do que escolher a estação do ano, é ficar de olho na tábua das marés, pois os passeios às piscinas naturais, os mais procurados da cidade, só são possíveis em época de maré baixa. Uma boa dica é ficar de olho na lua. O período de lua cheia e lua nova são os que registram as marés mais baixas.

Itália parte III – Cinque Terre, um patrimônio da humanidade

Cinque Terre é o nome dado a um acidentado trecho de terra, na Itália, banhado pelo Mar Mediterrâneo e declarado como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.

 

Na Cinque Terre, você conhecerá uma beleza acidentada e uma região que caminha a passos lentos. Formada pelas cidades de Monterosso, Vernazza, Corniglia, Manarola e Riomaggiore, essa é uma parte da Itália que eu ainda não conhecia.

Não é permitido o acesso total de carros. Mas vale a pena explorar, com estacionamentos próximos as vilas, deixe o carro e caminhe por uma das espetaculares trilhas que ligam esses vilarejos.

Vernazza foi fundada por volta do ano Mil. O seu nome provém de uma antiga família Romana. A ela pertenciam os escravos que, assim que foram libertados, fundaram a vila.

Vernazza é a vila mais próspera das Cinque Terre. Vernazza apresenta um grande número de ruas laterais ligadas por escadas íngremes e está dotada de construções defensivas, casas torre, e o castelo da família Doria, símbolo da sua antiga importância económica.

veja também – Itália parte II