Um projeto inspirador

Recentemente conheci 2 caras que me fizeram perceber o quanto é possível fazer diferença quando acreditamos num sonho e o tornamos realidade.

Venha comigo, quero te apresentar essas 2 pessoas e projeto deles no interior do Ceará…

Esse é o Miel, 24 anos de São Bento da Amontoada – CE. 

Miel2

Miel gosta de skates e percebeu que através desse esporte poderia ajudar crianças e adolescentes em sua comunidade local.

miel

O PESS – (Projeto Escola de Skate Social) coordenado por Miel conta hoje com mais de 100 participantes. Eles não apenas fazem suas manobras radicais na pista de skate. Miel certifica-se de estar sempre aconselhando a galera e compartilhando princípios de vida através da Bíblia. Miel tem muitos irmãos e é hoje a maior família de skatistas do Brasil.

Clique nas fotos e assista a entrevista:

625450_393606797360176_1951876736_n

Amada-Ce (14)

Esse é o Ronaldo Morais, também 24 anos e da mesma cidade.

Ronaldo

Ronaldo porém gosta de futebol e, assim como Miel, decidiu fazer diferença na vida de crianças e adolescentes de Amontoada e hoje é o coordenador do projeto Social de Futsal que vai muito além apenas do futsal.

ronaldo2

Ronaldo relata:”Trabalhamos com crianças carentes de áreas de risco, cerca de 140 crianças participam, o projeto que funciona de Segunda a Quarta feira, nos turnos manhã e tarde. Este projeto tem como objetivo tirar as  as crianças do mundo da ociosidade e levar o amor de Deus a elas oferecendo a opção de darem seus primeiros passos através do futsal, utilizando a modalidade esportiva, como um fator de inclusão social, oportunizando às crianças e adolescentes um meio para a formação como cidadãos. O público alvo são crianças e adolescentes de 07 a 14 anos. Nosso projeto é no Ginásio Poliesportivo Abilhão em Amontada e nossa filosofia é: “Antes de Formar Atletas, Formarmos Cidadãos”.

???????????????????????????????

Amada-Ce (15)

Amada-Ce (16)

Pessoas e projetos como esses me inspiram e me fazem acreditar que podemos quando acreditamos.

Para saber mais visite o Site do projeto:

http://www.projetosocialdefutsal.com/

Coordenador: Ronaldo Morais

ronaldo-futsal88@hotmail.com

Caminhar ou Correr?

As duas atividades são simples (não exigem habilidades específicas), práticas (basta um par de tênis e roupas confortáveis para começar) e democráticas (agregam pessoas de todas as idades). Veja a seguir o que levar em conta ao escolher uma ou outra. O que não vale é ficar parado…

 jogging

Estimase que cerca de 90% da população mundial seja insuficientemente ativa, sendo que 70% está no time dos sedentários. E a falta de atividade física seria responsável por 54% das mortes por infarto, 50% por derrame cerebral e 37% por câncer. Os motivos apresentados pelos ‘enferrujados de plantão’ são variados: não tenho tempo; não posso pagar uma academia; há tempos não faço nada, preciso ir devagar; não encontro exercícios que me motivem, logo tenho vontade de parar… Se você ainda resiste em abandonar o sedentarismo por causa de uma dessas desculpas, essa reportagem pretende mostrar que a coisa é muito mais fácil (e eficaz) do que se imagina.

Principais benefícios

“A caminhada é recomendada a pessoas que apresentam um histórico de sedentarismo, iniciantes que queiram começar um programa de condicionamento, para aqueles que estejam acima do peso e/ou revelem alguma contra-indicação para a corrida”, resume Flávia Ungaretti, professora de educação física e treinadora da Marcos Paulo Reis (MPR) Assessoria Esportiva, de São Paulo. É importante ressaltar que pacientes cardiopatas devem ter liberação do cardiologista e, de preferência, seguir um programa com profissionais da área de saúde e educação física. Já a corrida está indicada àqueles que querem aperfeiçoar o condicionamen to car dio vascular, melhorar ainda mais a qualidade de vida e atletas em busca de performance. “A caminhada é o começo de tudo. Considero o período de adaptação do corpo para uma nova vida, especialmente para quem tem sobrepeso, algum problema de saúde ou quer largar o cigarro ou a bebida, por exemplo”, diz Marcelo Smith de Vasconcellos, consultor da Six Assessoria Esportiva, de São Paulo.

78606765

Em relação aos benefícios para a saúde, corrida e caminhada têm pontos em comum. “Ambas atuam na melhora do condicionamento cardiovascular, ajudam a reduzir fatores de risco para infarto do miocárdio, obesidade e diabetes, auxiliam a socialização e a integração com outras pessoas (amigo, treinador)”, diz o fisioterapeuta Felipe Machado.

Por promoverem queima calórica, as atividades também auxiliam a perda de peso, portanto são apropriadas para quem quer emagrecer. O número de calorias perdidas depende de fato res co mo peso corporal, intensidade e tempo de exercício, nível de condicionamento e metabolismo indi vi dual. Mas cer tamente, devido a sobrecarga, a corrida promove maior gasto energético e, conseqüentemente, maior é a queima de gordura.

Quanto e como

Um homem saudável de 75 kg, em uma hora de caminhada firme tem custo energético de 300 a 350 calorias. Correndo em ritmo moderado, no mesmo período, chega até 1000 calorias”, explica Renato Lotufo, médico fisiologista do Instituto de Avaliação Física do Esporte (IAFE). “In corporando o exercício ao dia-adia, você melhora a alimentação, ganha disposição, dorme melhor, en fim, agrega mais qualidade à sua vida”, diz Marcelo Vasconcellos, da Six.


 corrida-ou-caminhada-628x295

 

Uma revolução em seu corpo

Veja o que acontece com o  organismo com a prática freqüente da caminhada ou da corrida:

CÉREBRO Após 20 ou 30 minutos de exercício, começa a liberar endorfina, neuro-transmissor com potente ação analgésica e capaz de estimular também a sensação de bem-estar

PULMÃO Sua função é maximizada, especialmente na porção superior, para aumentar a ventilação

CORAÇÃO Com o esforço, passa a bater acelerado para transportar quantidade extra de oxigênio. A atividade física deixa o órgão mais resistente e eficiente – ele adquire capacidade para bombear mais sangue. Resultado: há melhora em seu condicionamento cardiovascular

CIRCULAÇÃO O sangue circula mais rapidamente pelo corpo, aumentando a entrada de oxigênio nos tecidos, o que otimiza a função dos órgãos

MÚSCULOS As artérias da musculatura trabalhada se dilatam para receber mais oxigênio. Com o aumento da intensidade do treino, ocorre queima de gordura dos tecidos musculares, tornando-os mais ‘enxutos’.

POR YARA ACHÔA

já passou da hora…

Existe hora pra tudo:

       Já ouviu alguém falar: “já passou da hora”. “Já era hora heim…” Quem nunca disse ou ouviu alguém dizer.

A pressão da sociedade as vezes nos massacra. Mas a grande verdade foi dita por alguém extremamente sábio. Ele nos deixou essas palavras:

Tudo tem um tempo determinado, e há tempo para todo o propósito.

Há tempo de nascer e tempo de morrer; tempo de plantar e tempo de se arrancar o que se plantou; tempo de derrubar e tempo de edificar; tempo de chorar e tempo de rir; tempo de plantear e tempo de saltar; tempo de espalhar pedras e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar e tempo de afastar-se; tempo de buscar e tempo de perder; tempo de guardar e tempo de jogar fora; tempo de estar calado e tempo de falar; tempo de amar e tempo de aborrecer; tempo de guerra e tempo de paz.

 

“O segredo de estar em paz é: descobrir, aceitar e desfrutar o perfeito tempo de Deus…”

 

 

Na casa dos pais tem…

 

Viajar é muito bom, explorar, descobrir…

…mas nada como voltar pra casa, principalmente a casa dos nossos pais.

 

Aqui tem segurança, somos sempre bem vindos, tem pão francês e cafézim, tem pão de queijo e suco natural.

 

Tem carinho e cuidado, tem proza e risada. A alegria de estar de volta, de sempre ser o filho não importa a idade.

 

Na casa dos pais é onde podemos e devemos ser quem realmente somos, sem máscaras, sem reservas. É onde fomos criados, educados, preparados para o mundo, e depois de rodar o mundo é para onde sempre devemos voltar pois seremos recebidos de braços abertos.

 

Ah!!!! A casa dos meus pais, o meu lar doce lar!!!!!

 

Mudanças, o fim de algo e início de outros…

 

O Universo se move em “permanente” mudança. O fluxo ininterrupto da vida tem sua expressão mais perfeita no alternar do dia e da noite e na seqüência das estações.

O homem, como parte integrante do Universo, também tem sua vida regulada por ciclos alternados de prosperidade e escassez, movimento e paralisia, alegria e tristeza.

Porém, esta verdade tão simples e natural parece, muitas vezes, tão difícil de ser compreendida. Os seres humanos estão permanentemente tentando estruturar áreas de sua vida sem aceitar a possibilidade da mudança.

Queremos segurança! Existe algo dentro de nós que tenta reprimir e moldar nossas experiências transformando-as numa unidade cristalizada.

Por que será que tudo o que é novo, não habitual, diferente daquilo com o que estamos acostumados, nos causa tanto medo?

É natural e compreensível que uma situação ainda não experimentada nos mobilize internamente, mas isto não deveria ser necessariamente ruim e sim uma oportunidade de testarmos nossa capacidade de responder a ela de forma criativa e original.

O problema é que desejamos ter respostas prontas para todas as ocasiões e acreditamos ser possível possuir uma receita que nos dê a garantia de que nos sairemos bem em qualquer circunstância.

Cada novo desafio deve ser enfrentado com a disposição interior de que se encontrará o caminho mais acertado. Isto exige uma mudança em nosso padrão usual de reação, que deve passar do medo e da negatividade, para o otimismo e a confiança.

Confiar que Deus tem o controle de todas as coisas e que nada e ninguém pode nos separar do amor de Cristo Jesus.

“E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.” Romanos 8:28

Daniel Dias pode virar em Londres maior paralímpico do Brasil

O sorriso cativante e o carisma continuam os mesmos. Nem a barba de “colocar medo nos adversários” cultivada nas últimas semanas foi capaz de mudar isso. Entretanto, o Daniel Dias que chega a Londres para disputa dos Jogos Paralímpicos é outro, bem diferente do que desembarcou em Pequim quatro anos atrás. De fã de Clodoaldo Silva, ele se transformou em ídolo. De revelação na China, ele se tornou a maior estrela de uma delegação de 182 atletas e principal condutor do país na missão de chegar ao inédito sétimo lugar no quadro de medalhas.

Com o visual alterado provisoriamente, já que o acordo com o treinador Marcos Rojo prevê cara limpa na estreia nos Jogos, quinta-feira, Daniel mergulha na piscina do Parque Aquático de Londres para dar continuidade a algo que se tornou constante em sua vida: subir ao pódio. Dono de nove medalhas em Pequim-2008 (quatro de ouro, quatro de prata e uma de bronze), o paulista de Campinas disputará oito provas na capital britânica e pode se consolidar como maior atleta paralímpico da história do Brasil no ato final de um ciclo que também inclui 11 medalhas de ouro no Parapan de Guadalajara-2011, oito de ouro e uma de prata no Mundial da Holanda-2010 e o prêmio Laureus de 2009.

– Quero representar bem o país e me sinto muito honrado por estar aqui entre atletas como Terezinha (Guilhermina), André Brasil, Clodoaldo Silva, Antônio Tenório… Pequim foi fantástico e espero que aqui também seja. Lá foi algo mais sem responsabilidade. Tinha feito um grande Parapan, mas em nível mundial eu ainda não era muito conhecido. Depois disso, foram quatro anos fantásticos. Ganhei o Laureus, o “Oscar do Esporte”, e espero carimbar essas conquistas fechando o ciclo com medalhas de ouro.

Como se não bastassem as conquistas já listadas, Daniel Dias conta ainda em seu currículo com outros oito ouros no Parapan do Rio-2007, além de três ouros e duas pratas em seu Mundial de estreia, na África do Sul, em 2006. Trajetória avassaladora de quem sequer pensava em se tornar um atleta até Atenas-2004, quando descobriu um mundo de possibilidades ao se encantar com os seis ouros e uma prata de Clodoaldo Silva.

Oito anos depois, o mesmo Clodoaldo virou adversário na classe S5 (nadadores com limitações físico-motoras) e pode ver o fã superá-lo no posto de maior medalhista paralímpico do Brasil. Atualmente, o “Tubarão das Piscinas”, que compete em quatro provas em Londres, enverga 13 pódios (seis ouros, cinco pratas e dois bronzes), assim como a ex-velocista Ádria Santos (quatro ouros, oito pratas e um bronze).

Daniel, que tem nove, pode voltar ao Brasil com 17 no total. A marca, no entanto, está longe de ser prioridade para o nadador.

– Foi tudo muito rápido (na carreira). Não parei para pensar nisso (recorde) e procuro nem pensar. Quero fazer o meu trabalho dentro da piscina. Se o meu melhor naquele momento for uma medalha de ouro, vou ficar extremamente feliz. Superar um grande atleta como o Clodoaldo será espetacular, fantástico, mas se não acontecer também vou ficar feliz. Quero focar nas minhas provas e ajudar os companheiros nos revezamentos.

Apesar do discurso humilde, Daniel Dias sabe que superar a marca de 13 medalhas em Londres é uma tendência. O brasileiro é recordista mundial em cinco das seis provas individuais que irá disputar: 50m, 100m e 200m nado livre, 50m costas e 50m borboleta, todas na classe S5. Ele ainda entra na água pelos 100m peito na SB4 – também para atletas com limitações físico-motoras – e nos revezamentos 4 x 100m medley e livre com pontuação máxima de 34 no somatório da classificação funcional dos atletas.

– Espero, sim, medalhas nas seis individuais. Não posso garantir as cores, mas vou dar o meu melhor para quem sabe sair com seis ou cinco ouros.

A primeira prova de Daniel Dias em Londres será os 50m livre, que tem as eliminatórias marcadas para a manhã de quinta-feira. Antes, porém, o nadador tem uma missão importante: será o porta-bandeira do Brasil na cerimônia de abertura dos Jogos, quarta-feira, no Estádio Olímpico.

Por Cahê Mota (http://globoesporte.globo.com)

É A VEZ DO RIO! Cidade recebe a Bandeira Olímpica de Londres e convida o mundo para 2016

Cidade Maravilhosa recebe a primeira edição dos Jogos Olímpicos na América do Sul daqui a quatro anos.

É a vez do Rio! A Cidade Maravilhosa recebeu neste domingo, de braços abertos, a Bandeira Olímpica, durante a Cerimônia de Encerramento de Londres 2012, e é oficialmente a cidade olímpica. Pelos próximos quatro anos, todo o planeta acompanhará dia após dia o trabalho do Brasil rumo a 2016, um momento histórico que culminará com a primeira edição dos Jogos Olímpicos na América do Sul.

Foram oito minutos de um grande abraço coletivo no Estádio Olímpico de Londres. A diversidade da cultura brasileira foi representada pelos músicos Seu Jorge e Marisa Monte; o rapper BNegão; o gari passista símbolo do carnaval do Rio de Janeiro, Renato Sorriso; e a modelo internacional Alessandra Ambrósio.

Foram selecionados 225 dançarinos voluntários residentes na Europa, sendo 31 brasileiros de diversas cidades do país, vestidos de figurinos assinados pelo estilista e artista plástico Jum Nakao. As peças foram produzidas em cidades ícones da moda mundial como Roma, Milão, Londres e Rio de Janeiro.

Dividida em quatro pilares, a Cerimônia abordou a felicidade do povo, a diversidade cultural e a energia contagiante do brasileiro. Para finalizar, o convite: que todas as nações estejam juntas, celebrando o Movimento Olímpico na Cidade Maravilhosa daqui a quatro anos.

Sejam bem-vindos!

Fonte: Rio2016.com