Caminhar ou Correr?

As duas atividades são simples (não exigem habilidades específicas), práticas (basta um par de tênis e roupas confortáveis para começar) e democráticas (agregam pessoas de todas as idades). Veja a seguir o que levar em conta ao escolher uma ou outra. O que não vale é ficar parado…

 jogging

Estimase que cerca de 90% da população mundial seja insuficientemente ativa, sendo que 70% está no time dos sedentários. E a falta de atividade física seria responsável por 54% das mortes por infarto, 50% por derrame cerebral e 37% por câncer. Os motivos apresentados pelos ‘enferrujados de plantão’ são variados: não tenho tempo; não posso pagar uma academia; há tempos não faço nada, preciso ir devagar; não encontro exercícios que me motivem, logo tenho vontade de parar… Se você ainda resiste em abandonar o sedentarismo por causa de uma dessas desculpas, essa reportagem pretende mostrar que a coisa é muito mais fácil (e eficaz) do que se imagina.

Principais benefícios

“A caminhada é recomendada a pessoas que apresentam um histórico de sedentarismo, iniciantes que queiram começar um programa de condicionamento, para aqueles que estejam acima do peso e/ou revelem alguma contra-indicação para a corrida”, resume Flávia Ungaretti, professora de educação física e treinadora da Marcos Paulo Reis (MPR) Assessoria Esportiva, de São Paulo. É importante ressaltar que pacientes cardiopatas devem ter liberação do cardiologista e, de preferência, seguir um programa com profissionais da área de saúde e educação física. Já a corrida está indicada àqueles que querem aperfeiçoar o condicionamen to car dio vascular, melhorar ainda mais a qualidade de vida e atletas em busca de performance. “A caminhada é o começo de tudo. Considero o período de adaptação do corpo para uma nova vida, especialmente para quem tem sobrepeso, algum problema de saúde ou quer largar o cigarro ou a bebida, por exemplo”, diz Marcelo Smith de Vasconcellos, consultor da Six Assessoria Esportiva, de São Paulo.

78606765

Em relação aos benefícios para a saúde, corrida e caminhada têm pontos em comum. “Ambas atuam na melhora do condicionamento cardiovascular, ajudam a reduzir fatores de risco para infarto do miocárdio, obesidade e diabetes, auxiliam a socialização e a integração com outras pessoas (amigo, treinador)”, diz o fisioterapeuta Felipe Machado.

Por promoverem queima calórica, as atividades também auxiliam a perda de peso, portanto são apropriadas para quem quer emagrecer. O número de calorias perdidas depende de fato res co mo peso corporal, intensidade e tempo de exercício, nível de condicionamento e metabolismo indi vi dual. Mas cer tamente, devido a sobrecarga, a corrida promove maior gasto energético e, conseqüentemente, maior é a queima de gordura.

Quanto e como

Um homem saudável de 75 kg, em uma hora de caminhada firme tem custo energético de 300 a 350 calorias. Correndo em ritmo moderado, no mesmo período, chega até 1000 calorias”, explica Renato Lotufo, médico fisiologista do Instituto de Avaliação Física do Esporte (IAFE). “In corporando o exercício ao dia-adia, você melhora a alimentação, ganha disposição, dorme melhor, en fim, agrega mais qualidade à sua vida”, diz Marcelo Vasconcellos, da Six.


 corrida-ou-caminhada-628x295

 

Uma revolução em seu corpo

Veja o que acontece com o  organismo com a prática freqüente da caminhada ou da corrida:

CÉREBRO Após 20 ou 30 minutos de exercício, começa a liberar endorfina, neuro-transmissor com potente ação analgésica e capaz de estimular também a sensação de bem-estar

PULMÃO Sua função é maximizada, especialmente na porção superior, para aumentar a ventilação

CORAÇÃO Com o esforço, passa a bater acelerado para transportar quantidade extra de oxigênio. A atividade física deixa o órgão mais resistente e eficiente – ele adquire capacidade para bombear mais sangue. Resultado: há melhora em seu condicionamento cardiovascular

CIRCULAÇÃO O sangue circula mais rapidamente pelo corpo, aumentando a entrada de oxigênio nos tecidos, o que otimiza a função dos órgãos

MÚSCULOS As artérias da musculatura trabalhada se dilatam para receber mais oxigênio. Com o aumento da intensidade do treino, ocorre queima de gordura dos tecidos musculares, tornando-os mais ‘enxutos’.

POR YARA ACHÔA

Advertisements