Londres 2012 – a maior festa do esporte mundial

Viver num país sede de um evento esportivo na proporção da Copa do Mundo e Olimpíadas é inesplicavél. Nós, os brasileiros, teremos essa oportunidade já no ano que vem com a Copa das Confederações.

Londres está repleta de turistas nacionais e internacionais. O transporte público, as ruas, parques e estádios estão cheios de pessoas com suas bandeiras e camisetas representando sua nação.

Ontem tive o privilégio de presenciar de perto um jogo. Brasil x Grã Betanha. Foi um presente dado por um amigo, um desses amigos que lembram de você quando aparece uma oportunidade dessas.

Com mais de 70,000 pessoas no estádio do Wembley, o time feminino do Brasil se sentiu precionado com a torcida (que fez muito barulho ao ver o gol nos primeiros minutos do jogo).

Pra mim foi bom poder sair da correria do trabalho e aproveitar de perto tudo que tem acontecido por aqui.

Nunca fui atleta,  mas acompanho sempre que posso alguns jogos e, dessa vez mais de perto do nunca…

Advertisements

BandSports terá base móvel em Londres

Canal terá um ônibus na capital inglesa e outro em São Paulo para fazer a cobertura dos Jogos Olímpicos.

O canal Bandsports comprou dois ônibus ingleses – aquele vermelho, de dois andares –, fez as adaptações necessárias e vai utilizá-los na cobertura e na divulgação das Olimpíadas de Londres.

Um veículo ficará na capital inglesa, estacionado cada dia num ponto turístico da cidade, e será utilizado como estúdio principal do canal para a transmissão de jornais, realização de entrevistas e debates. Câmaras, apresentadores e entrevistados ficarão instalados no segundo andar do veículo, que foi adaptado para fazer as transmissões ao vivo.

Os estúdios do centro de imprensa de Londres serão usados apenas de forma alternativa, como instrumento de apoio. “Desse modo, vamos sempre mostrar a cidade ao vivo e pulsante durante as Olimpíadas”, comenta Elia Jr., que será o âncora do ônibus londrino. Ele conta que esse esquema de estúdio itinerante só foi possível porque houve total apoio da VisitBritain, a agência inglesa de turismo.

O segundo veículo em São Paulo vai circular pela cidade durante todo o período das Olimpíadas, com o objetivo de divulgar o canal. O busão inglês já está na cidade, pronto para sair às ruas.

Equipe

Os narradores principais do BandSports serão Luciano do Vale e Oliveira Andrade, recém-contratado. A equipe de comentaristas será ampliada, com a contratação de vários atletas e técnicos, como Marcelo Negrão (campeão olímpico 92 de vôlei) e Cléberson Yamada (técnico de atletismo). Os principais apresentadores da canal  farão seus programas e jornais diretamente de Londres. No total, cerca de 200 profissionais vão trabalhar exclusivamente para as Olimpíadas, instalados em Londres e em São Paulo.

Com o slogan “Bandsports, muito além do esporte”, a campanha publicitária preparada para marcar as transmissões das Olimpíadas terá vinhetas com depoimento de oito atletas olímpicos: Maurren (atletismo), Leandro Guilheiro (judô). Marcelinho Machado (basquete), Marta (futebol), Henzo (esgrima), Esquiva (boxe), Marilson (Maratona) e Hugo Oyama (tênis de mesa).

fonte: http://www.band.com.br/esporte/olimpico/

Como ir de Heathrow ao centro de Londres

O aeroporto de Heathrow (LHR) é um dos mais movimentados do mundo e é lá que os voos diretos do Brasil aterrizam. O voo da TAM chega no Terminal 1 e o da British Airways no novo Terminal 5, inaugurado em 2008.

O aeroporto fica a cerca de 30 kms do centro de Londres e oferece ao viajante várias opções de transporte para o centro da capital. As principais opções são:

 Trem Heathrow Express: a forma mais rápida para chegar ao centro. O trajeto do aeroporto até a estação de Paddington, no centro de Londres, dura cerca de 15 minutos sem escalas.  Há duas estações no aeroporto: uma no Terminal 5 e outra que serve os Terminais 1-3 (Heathrow Central). Chegando no Terminal 4, é preciso trocar de trem, mas isso é feito de forma rápida e não é cobrado nada extra.

O preço da passagem em 2012 é ₤18,00 (₤34,00 para ida e volta) se comprada na máquina no próprio aeroporto, ou ₤19,00 se comprada dentro do trem. O jeito mais fácil de adquirir a passagem, no entanto, é online, antes de sair de casa no Brasil. Basta imprimir o bilhete eletrônico com código de barras para apresentar ao cobrador quando pedido. Ao chegar na estação, é só esperar pelo trem e embarcar.

O Heathrow Express funciona das 5:00 às 24:00 aproximadamente, com cerca de um trem a cada 15 minutos. Veja os horários aqui.

Chegando à estação de Paddington, pegue um táxi ou metrô para seu destino.

 Metrô: há três estações de metrô em Heathrow: Heathrow Terminal 5Heathrow Terminal 4 e Heathrow Terminals 1, 2, 3.  A linha azul escura (Piccadilly) conecta o aeroporto ao centro de Londres e ao restante do sistema de metrô da cidade.   É bem mais barato que o Heathrow Express, mas demora bem mais (aproximadamente 1 hora até Piccadily Circus). Como a viagem começa em Heathrow, é tranquilo achar lugar para sentar e acomodar as malas não fica tão difícil.

O horário de funcionamento do metrô é semelhante ao do trem, porém as saídas são mais frequentes. Além de ser mais barato que o trem, a vantagem do metrô é que,  dependendo do destino final do passageiro no centro de Londres, é possível descer já na estação mais próxima, caso seja uma das muitas estações da linha Piccadily.

Uma passagem única (single) para o centro de Londres (Zona 1) custa em 2012 ₤5,30 (a partir de ₤2,90 com Oyster Card) e pode ser adquirida na estação do aeroporto.  Heathrow está na zona 6 de transporte.

3 – Trem Heathrow Connect – é um trem parador, mais lento (25-30 minutos) e mais barato (₤9,10) que o Heathrow Express. O destino final também é a estação de Paddington, no centro de Londres. Veja os horários aqui. Para quem vai para o oeste de Londres, e tem como destino final uma destas estações, é uma boa opção:

4  Ônibus especial – a National Express faz a ligação entre o terminal rodoviário do aeroporto e a estação de ônibus de Victoria (Victoria Coach Station), por ₤6,50. A viagem leva de 40 minutos a 1,5 hora dependendo do trajeto e do trânsito. Os serviços a partir de Heathrow iniciam-se às 5:30 e se estendem até às 21:30. É uma boa opção para quem vai para outras cidades da Inglaterra, ou para os outros aeroportos (há conexões para Gatwick, Stanstead e Lutton). Mais detalhes aqui.

5  Táxi – como em todo aeroporto, há filas de táxi na saída do terminal. O táxi tradicional (black cab) é o mais caro, e uma viagem até o centro da cidade custa pelo menos ₤70,00, e pode demorar bem mais de uma hora, dependendo do trânsito.

6 – Ônibus noturno – Entre meia-noite e 5:30 aproximadamente, a única opção de transporte público (além do táxi) é o ônibus noturno N9, que tem como destino final a Trafalgar Square, no centro de Londres. A viagem dura aproximadamente 1 hora, e custa ₤2,30 (preço para 2012).

7 – Trânsfer – Para ter um carro com motorista esperando por você na chegada, leia aqui.

Bem vindo a Londres!!!!

Fotos: http://www.heathrowairport.com

Antes de melhorar, piora

Até 2016 o Rio terá um volume de obras inédito em 100 anos. É preciso paciência para encarar os transtornos de hoje e pensar nos benefícios futuros.

Mesmo o carioca mais distraído já percebeu que a cidade passa por uma transformação radical. Os sinais da mudança, ao menos por enquanto, são desagradáveis, com desvios, interdições, máquinas pesadas e tapumes pelo caminho. Principalmente nas zonas Sul, Oeste e Portuária, há uma concentração de obras que atravancam todo o trânsito e desafiam a paciência de quem está dentro do veículo – ou inalando a fumaceira fora dele. Com uma pequena variação no grau de aborrecimento e nos pontos de transtorno, esse será o panorama nos próximos quatro anos, até que a pira olímpica seja acesa. Desde a reforma conduzida pelo prefeito Pereira Passos, há mais de um século, a cidade não reunia tantas intervenções de porte ao mesmo tempo. Estão em andamento a revitalização da Zona Portuária, a abertura de corredores exclusivos de ônibus e a expansão do metrô, com um total de investimentos na faixa de 12 bilhões de reais. Boa notícia: a primeira sensação de alívio já entrou em contagem regressiva. Daqui a duas semanas está prometida a inauguração da Transoeste, faixa expressa de 56 quilômetros que ligará a Barra da Tijuca a Santa Cruz e Campo Grande, destinada apenas aos coletivos. “Chego a demorar duas horas no meu trajeto. Mas sei que o problema tem data para acabar”, consola-se o representante comercial Marco Antônio Viana, que faz aquele percurso diariamente.

Leicester Square, em Londres: as reclamações foram esquecidas depois da reinauguração

O dilema é inevitável: antes de a situação melhorar, ela piora. Modificações estruturais, como as que estão em curso desde 2009 numa extensa área do Porto Maravilha, implicam muita dor da cabeça. Especialmente nas proximidades da Praça Mauá e da Rodoviária Novo Rio, há vários trechos fechados para trabalhos de infraestrutura e drenagem (veja o quadro na pág. 28). É o caso de vias de grande movimento, como Barão de Tefé, Sacadura Cabral e Avenida Venezuela. Com isso, tornou-se comum a mudança nos itinerários e nas paradas das 35 linhas de ônibus que passam pela região. No momento, está a pleno vapor a construção do novo sistema viário local, cujo ponto alto é a Via Binária, uma artéria paralela à Avenida Rodrigues Alves por toda a extensão do porto, com 3,5 quilômetros e três faixas em cada sentido. Em 2016, quando o pacote de intervenções deve estar concluído – com a derrubada da Perimetral, a transformação da Rodrigues Alves numa via expressa e a abertura de sua paralela -, a estimativa é que será ampliada em 50% a capacidade de circulação nesse trajeto, hoje em torno de 7 600 veículos por hora. Para amenizar o impacto das intervenções na cidade, a prefeitura aumentou o número de controladores de tráfego de 350 para 630 agentes. O que não falta para essa turma é trabalho.

O próximo verão se anuncia especialmente tumultuado, seja para quem ficar, seja para quem quiser deixar o Rio, uma vez que as zonas Oeste e Portuária, rotas de saída para a Costa Verde e a Região dos Lagos, respectivamente, estarão cheias de obstáculos. Na estação em que a capital recebe uma massa de 3 milhões de visitantes, a expansão do metrô decerto vai trazer inconvenientes. Para levar o sistema até a Barra da Tijuca, inicialmente dois trechos da Avenida Ataulfo de Paiva (entre a Afrânio de Melo Franco e o Jardim de Alah e da General Urquiza à Bartolomeu Mitre) serão totalmente fechados ao trânsito durante nove meses, a partir do ano que vem. Não será o único transtorno que moradores e banhistas de Ipanema e Leblon terão pela frente. Aberta no fim de 2009, a estação General Osório ficará oito meses fechada, também a partir do começo de 2013, para a construção de um túnel de ligação com a plataforma da Linha 4. A parada imediatamente anterior, no Cantagalo, ficará desativada pelo mesmo período.
Quem já enfrentou uma reforma em casa sabe bem o desgaste decorrente do quebra-quebra, com muita poeira e barulho. Há que ter em mente que a situação é transitória, mas os benefícios ficarão para sempre. Em Londres, onde dentro de dois meses serão realizados os Jogos Olímpicos, houve gritaria contra determinadas cirurgias urbanas realizadas com vistas à competição. Parte da população protestou contra o gasto de 50 milhões de reais para reformular a Leicester Square, praça famosa por receber grandes estreias do cinema. Reinaugurada há poucos dias e tinindo de nova, ela deixou as reclamações para trás. Se os cariocas darão a mesma acolhida às intervenções em andamento, dependerá da eficiência das autoridades em cumprir prazos, do planejamento para atenuar os transtornos e, acima de tudo, do resultado. Tudo indica, porém, que a cidade vai emergir ainda mais bonita quando esse período terminar.

Fonte: Revista Veja Rio

por Caio Barretto Briso

Tocha olímpica apagou

A chama olímpica apagou nesta segunda-feira pela primeira vez durante o revezamento da tocha pela Grã-Bretanha antes dos Jogos de Londres devido a um “defeito no queimador”, disseram os organizadores.

A tocha estava com o cadeirante de 23 anos David Follett quando apagou, no caminho de Exeter para Taunton, no sudoeste da Inglaterra, no terceiro dos 70 dias do revezamento.

A tocha foi testada no centro climático da BMW em Munique para garantir que permaneceria acesa em todas as condições climáticas, mas o equipamento apresentou um defeito, segundo os organizadores.

“Não é incomum uma chama se apagar e isso pode acontecer por várias razões, por exemplo, em ventos fortes”, disse o comitê organizador dos Jogos Olímpicos de Londres (Locog) em comunicado.

Uma chama reserva sempre é carregada pelos organizadores em um carro atrás da tocha. O fogo foi utilizado para reacender a tocha “numa questão de poucos minutos”, segundo os organizadores.

A etapa desta segunda-feira do revezamento terá a participação de 113 pessoas, que levarão a tocha por um percurso de 217 quilômetros.

Fonte: Clare Kane

O parque olímpico de Londres e as demais localidades

Para baixar o programa completo com locais, datas e modalidades do jogos, clique abaixo:

Estádio Olímpico de Londres
Local: Stratford – Região leste de Londres
Modalidade de Eventos: realizará as provas de Atletismo

Aquatics Centre
Local: Parque Olímpico
Modalidade de Eventos: Natação, Mergulho, Nado Sincronizada, Pentatlo.

Basketball Arena
Local: Parque Olímpico
Modalidade de Eventos: Basquetebol

Water Polo Arena
Local: Parque Olímpico
Modalidade de Eventos: Polo Aquático

Handeball Arena
Local: Parque Olímpico
Modalidade de Eventos: Handebol, Pentatlo, Goalball

Hochey Centre
Local: Parque Olímpico
Modalidade de Eventos: Hóquei

Velodrome
Local: Parque Olímpico
Modalidade de Eventos: Ciclismo (BMX, de pista)

The Mall
Local: alameda de Buckinham Palace
Modalidade de Eventos: Ciclismo de Estrada

Lee Valley White Water Centre
Local: Hertfordshire, 30km ao norte do Parque Olímpico
Modalidade de Eventos: Canoagem Slalom

Earls Court
Local: Kensington, West London, perto do museu de Ciência e História Natural
Modalidade de Eventos: Vôlei

Eton Dorney – Lago
Local: Buckinghamshire, perto do castelo de Windsor, à 40km de Londres
Modalidade de Eventos: Canoagem e Remo

Hyde Parque
Local: Região oeste de Londres
Modalidade de Eventos: Maratona, Natação e Triatlo

Estádio de Wembley
Local: Região noroeste de Londres, à 10km do centro de Londres
Modalidade de Eventos: Futebol, Badminton e Ginástica

Estádio de Wimbledon
Local: Wimbledon, Londres
Modalidade de Eventos: realizará os torneios de Tênis

Lord’s Cricket Ground
Local: Perto de Regent’s Park, noroeste de Londres
Modalidade de Eventos: realizará jogos de Tiro com Arco

Horse Guards Parade
Local: Whitehall, no coração de Londres, perto de Downing Street e Buckingham Palace
Modalidade de Eventos: Vôlei de Praia

Centro de Conferência Excel
Local: Newham (Docklands), Leste de Londres, perto do aeroporto City Airport
Modalidades de Eventos: Boxe, Esgrima, Judô, Tênis de Mesa, Taekwondo, Halterofilismo, luta greco-romana

Greenwich Park
Local: Greenwich, região sudeste de Londres na margem sul do rio Tâmisa
Modalidade de Eventos: Hipismo, Pentatlo

Greenwich O2 Arena
Local: Península de Greenwich, perto do prédio de Canary Wharf
Modalidade de Eventos: Basquetebol, Ginástica e Trampolim

The Royal Artillery Barracks – Tiro
Local: Woolwich, sudeste de Londres
Modalidade de Eventos: Tiro

Hadleigh Farm
Local: Essex, região ao leste de Londres
Modalidades de Eventos: Ciclismo de Montanha (Mountain Bike)

Cidade de Weymouth e Portland
Local: Dorset, costa sul da Inglaterra
Modalidades de Eventos: Vela

Uma pequena igreja e uma GRANDE idéia…

 

Como parte dessa ocasião memorável realizado pelo More Than Gold em 2012 a Capela Escalls, uma pequena comunidade cristã, teve a brilhante idéia de enviar um ônibus aberto na parte superior, por toda Inglaterra, à frente da tocha olímpica, com bandas cristãs, trazendo louvor e adoração a Deus por toda a nação e proclamando o nome de Cristo. 

A idéia é de sair sempre uma hora ou mais antes da tocha a cada dia. O projeto Mais Que Ouro está apoiando este empreendimento, em parcerias com igrejas locais. O Ônibus foi oferecido por uma fração do custo bem baixo. O ônibus será pintado novamente para a ocasião.



Os objetivos do ônibus são de proclamar a Cristo e trazer incentivo as pessoas, permitindo que cada homem, mulher e criança saiba que Deus os ama. O instrumento para isso será a oração e o louvor. Várias igrejas e organizações estão sendo contactadas para que esse se torne um projeto de todos. “Deus quer que as pessoas saibam de seu amor. Devemos ser criativos e proclamar a Deus e deixar que Ele realize a Sua obra.